Entrevista com o veterinário Dr. André Richter Ribeiro

andre

André Richter Ribeiro é o veterinário online. Apaixonado por animais, dedica-se ao cuidado de todos eles, de pequeno a grande porte. Formado em Medicina Veterinária, possui especialização em gastroenterologia, mestrado em cirurgia metabólica, é doutorando na área de clínica cirúrgica com ênfase em cirurgia metabólica e dedica-se à outras pesquisas no segmento.

 

 

Rato de Casa: Quais são os sinais apresentados por um rato que indicam que é hora de chamar um veterinário?

Dr. André:

  • Falta de apetite;
  • Falta de interesse em explorar brinquedos ou tocas que oferecemos, como casinhas, grutas, etc;
  • Respiração com barulho de plástico bolha (crepitação);
  • Olho borrado, ou olho de boxeador como eu costumo chamar;
  • Respiração abdominal com amplitude acentuada;
  • Correr em círculos sem pausa;
  • Correr de ré;
  • Falhas nos pelos
  • Diarreia líquida ou com odor acentuado;
  • Baixa mobilidade na cauda;
  • Língua e gengivas roxas.

Rato de Casa: Quais são os problemas de saúde mais comuns entre os ratos?

Dr. André: Problemas respiratórios, geralmente caminham para algo mais sério. Cólicas gastrointestinais, devido ao fato que o roedor não tem eructação (arroto), diarréia, por conta de má alimentação, stress e contaminação por ambiente sem limpeza.

Rato de Casa: Sabemos que é comum fêmeas apresentarem tumores mamários. Como é o tratamento para esse tipo de problema? A cirurgia é eficaz?

Dr. André: Cirurgia é eficaz, dependendo do estágio em que se encontra, sempre melhor detectar no começo, e já fazer a intervenção, tornando um procedimento menos demorado, e com uma curva maior de êxito pós cirúrgico.

Rato de Casa: Existem problemas de saúde em ratos que são muito simples de tratar, mas que podem ser fatais sem o atendimento de um veterinário?

Dr. André: Na realidade, nenhum dos problemas com os roedores são passiveis de minimizar. Como é um animalzinho de metabolismo acelerado, as afecções evoluem rapidamente. Na realidade, um dente quebrado pode se tornar uma emergência, devido a cascata de eventos que um problema destes  causa, como falta de apetite, inanição, imunodepressão, translocação bacteriana pelo canal da lesão na boca, dor, febre, hiperventilação por conta de uma sepse e óbito. O próprio fungo de pele, se não detectado por exame físico, progride para uma emergência respiratória.

Rato de Casa: Você poderia dar algumas dicas de primeiros socorros? Em caso de um acidente, o que devemos fazer até a chegada do veterinário?

Dr. André: Geralmente o que devemos ter na farmacinha de casa é a dipirona liquida para controle de algum desconforto, como dores musculares, um antistaminico pediátrico em caso de tosse ou espirros por alergia, simeticona (Luftal) para controle de cólicas abdominais e probiótico em caso de desarranjo (diarreia).

Rato de Casa: Sabemos que ratos transmitem doenças para humanos. Quais são as principais doenças transmitidas por eles e o que podemos fazer pra evitar contrair essas doenças? E nós? Transmitimos doenças para os ratos?

Dr. André: Os roedores de laboratório são da mesma espécie dos roedores comuns de esgoto e assim como todas as outras cobaias (camundongos, porquinhos-da-índia, etc) e os hamsters, entre outros roedores, são passíveis sim, de transmitir zoonoses (doenças transmitidas ao seres humanos por intermédio de um animal). No entanto, é necessário ter-se em mente que essas doenças não “nascem” com o animal. Elas são transmitidas a eles, e aí sim, eles passam a ser agentes contaminadores.
É como se você me perguntasse: “Pessoas podem me transmitir doenças?”… Minha resposta seria: SIM, mais do que qualquer outra espécie no mundo, as pessoas são a maior fonte de doenças transmitidas para outras pessoas. Se os animais forem bem tratados e estiverem isolados de outros animais como ratos do mato e do esgoto, não transmitirão doença alguma, uma vez que não a terão em seu organismo. Pessoas alérgicas aos pelos dos roedores podem não se adaptar, mas ai já outro caso, não é uma doença, e sim uma intolerância.
Animais não tratados, errantes podem transmitir doenças sérias. Algumas doenças (zoonoses) transmitidas por roedores de selva ou tubulações de esgoto podem ser muito graves e levar a morte. A maioria delas são causadas pelos ratos, como: leptospirose,
peste bubônica, tifo murino, febre da mordida do rato, triquinose, raiva, salmonelose e hantavirose.
Qualquer das infecções citadas ocorre através do contato direto ou indireto do homem com as fezes e urina desses animais. O tratamento das doenças mencionadas é emergencial, quando detectado pelo clínico geral e imediatamente encaminhado para internamento. Risco Severo de morte.

Rato de Casa: Quais são os sinais que indicam que um rato está mal nutrido ou desidratado?

Dr. André: Quando conseguimos ver as costelinhas e a pele sem elasticidade. Geralmente a desnutrição vem acompanhada de desidratação.

Rato de Casa: Alguém já pediu para que você tratasse de um rato de rua? O que você recomenda nesse caso?

Dr. André: Sim, e não é incomum. Já atendi até morcego resgatado após um ataque de felino.

Rato de Casa: Como é a interação dos ratos com outros animais de estimação? É seguro deixar um rato brincar com outras espécies?

Dr. André: Pelo rato sim, agora pelas outras espécies não, um exemplo, o Wistar, é um roedor muito bonzinho, se adapta com qualquer animal, só que é muito frágil, se exposto alguma brincadeira mais brutal, pode vir a óbito também.

Rato de Casa: Quais são as coisas comunmente encontradas numa casa que são perigosas para um rato? Você pode citar alguns acidentes que podem ser facilmente evitados?

Dr. André: Geralmente fios elétricos. Eletrodomésticos com vãos ou fundo falso, geladeira, máquina de lavar, forno. Acidentes previsíveis são choques elétricos, queimaduras, queda de objetos, geralmente quando escalam algum móvel puxando toalhinhas.

Rato de Casa: Como você se interessou pela veterinária de animais exóticos?

Dr. André: Quando comecei a trabalhar em biotério em 2010. Comecei primeiramente a conviver com ratos e coelhos, e acabei me encantando com a interatividade que eles tem com os humanos, é uma troca de vibrações que só quem tem um animal dessa espécie sabe exatamente de qual sentimento eu estou falando. É único. E claro, a inteligência dos pequenos.

Rato de Casa: Sabemos que você toca na banda “Os Transtornados do Rítmo Antigo”, como você concilia a sua atividade como músico e em geral a sua vida pessoal com a prática veterinária?

Dr. André: Hoje em dia a banda ficou em quarto plano, amo a música, mas a minha paixão pela veterinária é algo que realmente não existe adversário que tenha páreo no meu coração, eu vivo trabalhando, manhã tarde noite, madrugada, e sempre digo que no meu dia faltam mais horas, durmo e acordo pensando neles. Sou feliz assim.


Agradecemos ao Dr. André, que gentilmente respondeu todas as nossas perguntas. Para quem quiser entrar em contato com ele, sua página no facebook é https://www.facebook.com/Veterinariorichteronline/

Anúncios

Sobre Aline Pêgas

https://alinepegas.com.br
Esta entrada foi publicada em alimentação, ciência, comportamento, habitat, higiene, saúde com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

3 respostas a Entrevista com o veterinário Dr. André Richter Ribeiro

  1. Pingback: Ele me mordeu! | Rato de Casa

  2. Pingback: Meus pezinhos! | Rato de Casa

  3. Pingback: Onde conseguimos nossas informações? | Rato de Casa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s